Seja Bem Vindo!

welcomes

Seguidores

domingo, 30 de março de 2014

O Cão Welsh Springer Spaniel




O Welsh Springer Spaniel também pode ser conhecido como Springer Spaniel Galês ou simplesmente Welsh Springer. Esse cão de pelo vermelho e branco é robusto, ativo e precisa de espaço. Tem o faro muito desenvolvimento, cobre o terreno de forma metódica e com uma amplitude média. 

Quando comparado ao Springer Inglês se sente mais a vontade na água, mas menos a vontade no mato. Late quando vê lebres e coelhos, também apresentando uma preferência pela galinhola. Foi utilizado por povos antigos muito antes de armas serem inventadas.

Para pessoas aposentadas, que costumam sair e vivem na cidade o Welsh Springer Spaniel é uma ótima companhia. Foi muito usado como cão de caça por nobres e desde o século 14 é utilizado como um adorável cão de companhia. 

Atualmente é considerado um cão raro. É importante ressaltar que o English Springer Spaniel e o Welsh Springer Spaniel são cães distintos, não uma variação de um mesmo cão do grupo de raças Spaniel.






Origem


A raça é pura com uma origem distinta e antiga, tendo suas raízes na pré-Bretanha, há cerca de nove mil anos. Durante muito tempo o Springer Spaniel Galês e o Springer Spaniel Inglês foram conhecidos como uma única raça e apenas no século passado as duas raças foram separadas e suas diferenças estabelecidas. Muitos acreditam que sua descendência seja uma mistura do Spinger Inglês e o Clumber.

Apesar de já ter sido muito apreciado na antiguidade, perdeu espaço para Springer Inglês e foi graças a um pequeno grupo de criadores que a raça Welsh Spinger Spaniel não entrou em extinção. Foi reconhecido pelo AKC em 1906 e seu clube americano, o Welsh Springer Spaniel Club of America, foi fundado em 1961, alguns anos após se acreditar que a raça não existia mais nos Estados Unidos.



Comportamento


É um cão forte, ativo e alegre, que não demonstra agressividade e nervosismo. De temperamento muito afável, é gentil e dependente, mas desde muito cedo necessita de uma educação firme e ao mesmo tempo suave, pois pode ser bastante teimoso e insistente.

Esforçado e fiel é o cão Welsh Springer é uma boa opção para famílias e caçadores; sendo dedicado para desempenhar sua função de caçador e companheiro.  É mais retraído na presença de estranhos, mas não age de forma tímida nem mesmo de forma hostil para com eles.





Aspecto


É um cão atraente, de tamanho prático e substância, sem ser grosseiro. Movimentação leve, rápida e ativa com grande alcance e propulsão traseira. Sua constituição é simétrica e compacta, sendo um cão resistente e para o trabalho duro. O pelo é denso, para protegê-lo de intempéries, liso, sedoso, nunca sendo áspero ou ondulado. Possui franjas no peito e ao longo do estômago que se estendem até acima dos jarretes, tanto anteriores quando posteriores, a cauda e as orelhas são levemente franjadas. 

As cores existentes são vermelho e branco, as áreas brancas apresentam marcas vermelha e não é possível que o chão apresente outras cores. A pelagem desse cão não deve excessiva a ponto de prejudicar sua função, mas deve ser suficientemente grossa para protegê-lo do clima.

O Welsh Springer apresenta um crânio único e que nunca deve ser comparado ao de outros cães do grupo Spaniel, sendo levemente abobado, e tamanho proporcional. A trufa apresenta narinas bem desenvolvidas, com cor que varia de carne até escuro, apresentando focinho reto, ligeiramente quadrado e de tamanho médio. Os maxilares são fortes com uma mordedura perfeita e completa em tesoura. 

Os olhos não mostram a conjuntiva, são de cor avelã escura, podendo ser em tons mais claros de marrom, de tamanho médio, nem profundos nem salientes. As orelhas são relativamente pequenas, pendentes nas proximidades das bochechas, inseridas moderadamente baixas, quase ao nível dos olhos, com forma de folha videira, estreitando até chegar as pontas. 

Pescoço sem barbelas, musculoso e longo. Anteriormente a cauda do Springer Spaniel Galês era cortada e se apresentava bem inserida, baixa, nunca ultrapassando o dorso, sendo vivaz quando o cachorro se encontra em ação. Quando não cortada a cauda é franjada e em equilíbrio com o cachorro.






Cuidados específicos


Necessita de escovação ao menos duas vezes por semana e tosa regular, sendo importante lembrar-se de aparar o pelo que nasce entre os dedos nessa ocasião. Não se adapta a vida em apartamento, pois precisa de espaço e muito exercício para se manter bem física e mentalmente. Esse cão exige atenção especial com as orelhas por causa do risco de infecções.





Saúde


O cão da raça Welsh Springer Spaniel costuma viver bons 16 anos. Os problemas de saúde mais comuns que pode apresentar são displasia coxofemoral, epilepsia, otites externas (infecção no canal externo do ouvido) e glaucoma (aumento da pressão interna do olho). Outro problema que ocorre é a catarata, sendo tratável de maneira cirúrgica, mas essa doença é menos comum que as demais para a raça. Todos os problemas são tratáveis e comuns a várias raças.

Trocando a Ração de seu Pet




Muitos não sabem que devemos ter muito cuidado ao trocar a ração do nosso cachorro, seja ele filhote ou adulto. O organismo dos cães é sensível e uma simples troca brusca pode acarretar em problemas na sua saúde, como diarréia, vômitos e desidratação (em casos mais graves, podendo levar o cão a precisar ficar internado).




Por que eu iria querer trocar a ração?

 

 

 São vários os motivos que nos fazem ter que trocar a ração do cão. Por exemplo:

- Trocar de uma ração normal ou premium para uma super premium, que tem mais qualidade e nutrientes;


- O cachorro pode ter enjoado da ração atual e aí somos forçados a efetuar a troca;


- A ração atual deixa as fezes moles ou com cheiro muito forte e queremos deixar as fezes mais sequinhas e durinhas;


- O cachorro tem muitos gases por conta da ração;


- A ração atual subiu o preço e precisamos encaixar a nova ração no orçamento;


- Os donos mudam pra uma região onde não se tem fácil acesso à determinada marca de ração;


- Lançamento de uma ração específica pra raça do nosso cão;
- etc

 



Bem, você viu que são vários os motivos que podem nos levar à troca da ração, mas como fazer isso com o menor impacto possível para a saúde do cachorro? É simples, basta se programar. Não deixe a ração atual acabar antes de você ter efetuado toda a troca, ou você pode deixar o seu cão passando mal e até doente.



Siga as quantidades e o cronograma abaixo:

 

 



como fazer a troca da raçãoFonte:http://tudosobrecachorros.com.br

segunda-feira, 24 de março de 2014

Cuidados no Outono e Inverno



Além dos fatores alérgicos, nessa época do ano é muito comum o aparecimento de doenças respiratórias devido à baixa da umidade e temperatura.

Exemplos são:

  • Traqueobronquite canina (“tosse dos canis”)
  • Pneumonia
  • Bronquite
  • Rinite
  • Sinusite
  • Rinotraqueíte felina



Os sintomas dessas enfermidades são muito semelhantes:
  • Tosse
  • Espirro
  • Corrimento nasal
  • Lacrimejamento
  • Conjuntivite
  • Cansaço
  • Falta de apetite
  • Dificuldade respiratória
  • Febre




Caso seu animal apresente qualquer um desses sintomas, procure um médico veterinário para que seja feito o diagnóstico precoce e o tratamento correto,  pois na maioria das vezes é eficaz.

O ideal é prevenir mantendo seu animal sempre em um local seco, limpo e protegido da chuva, porém ventilado.

Lavar periodicamente sua caminha, casinha, roupinhas, lençóis, edredons, etc para evitar a presença de pó, ácaros e mofos.

Mantê-lo aquecido nos dias mais frio com roupinha.

Sempre utilizar água morna na hora dos banhos e ao término seca-lo com toalhas macias e secador.

E o principal, fazer as vacinas mensais (nos filhotes) e anuais (nos adultos).

 M.V. Talita Reis
Por: Thiago Soleder


 Fonte:canalsertanejo.com.br

Os cachorros mais lindos do mundo! ( com poema).wmv

Top 10 de los gatos mas lindos

Os animais mais incriveis e lindos do planeta.

terça-feira, 18 de março de 2014

O Gato La Perm




Quando você tem o prazer de ver pela primeira vez um LaPerm, você pode pensar que está vendo um gatinho que acaba de voltar da academia de ginástica e do cabeleireiro. No entanto, só a mãe natureza é capaz de criar esta pelagem incrível, onde ate os bigodes e as sobrancelhas são encaracolados, e um corpo tão musculoso e bonito.

Ao embalar um LaPerm em seus braços , todos seus sentidos são aguçados. Correndo os dedos em seus pelos, você terá uma sensação incrível e não vai querer parar. Ouvir o ronco e ver a inteligência se desdobrar quando ensina seus truques e brincadeiras, lhe dará uma sensação inigualável de amor e respeito para a raça.






Origem
 

No verão de 1982, nos Estados Unidos da America, em um grande pomar de cerejas de uma fazenda localizada perto de Oregon, uma gata parda chamada speedy, deu a luz a seis gatinhos. Os proprietários, Richard e Linda Koehl, notaram que um dos filhotes, uma fêmea, nasceu totalmente sem pelo, e pesava menos que seus irmãos de ninhada, mas tinha um corpo mais longo e orelhas maiores.

O gatinho prosperou, e em cerca de oito semanas de idade, os pelos macios e encaracolados começaram a aparecer em seu corpo. Ela foi apropriadamente batizada Curly e sua dona, Linda Koehl, descobriu que ela não só tinha uma pelagem única, mas também tinha uma personalidade encantadora.

 
Quando a gatinha Curly alcançou a idade reprodutiva, produziu sua própria ninhada de cinco machos malhados, sendo que todos nasceram sem pelo e como em sua mãe, aos oito meses, nasceram pelos encaracolado em todo corpo. Embora os Koehls não soubessem disso na época, o pelo encaracolado é regido por um gene dominante; portanto, apenas um dos pais precisa do gene para produzir descendentes com pelos encaracolado.


Ao longo dos próximos cinco anos, a familia Koehls não fez nenhum esforço para evitar o cruzamento de Curly e de suas ninhadas, apenas deixou a natureza seguir seu curso. E já que a natureza dita que os gatos domésticos se reproduzem em um ritmo incrivelmente rápido, os Koehls logo tiveram uma colônia grande e diversificada, em uma infinidade de cores e padrões. Infelizmente, Curly desapareceu uma noite e nunca mais voltou, mas seu legado continua.


Depois de ler sobre raças de gato, Linda Koehl percebeu que seus gatos tinham padrões únicos, e decidiu apresentá-los em uma exposição de gatos. Ela nomeou a raça de LaPerm que significa "ondulado" em várias línguas. Em 1992, ela levou quatro LaPerms a um show CFA em Portland, Oregon. Sua caixa de transporte com diversos LaPerm , foi logo cercada por uma multidão de curiosos e cativou amantes de gatos.


Linda Koehl, motivada pelo entusiasmo dos amantes de gatos, começou a freqüentar exposições regularmente. Com a ajuda de geneticistas e outros criadores que também estavam fascinados, ela fundou o Gatil Kloshe, começando um programa de melhoramento, e o processo longo e complicado de ganhar reconhecimento para o LaPerm. A CFA reconheceu a raça, e em 1995 a TICA também.






 Aparência


Corpo com comprimento médio a longo, musculatura bem desenvolvida, pesando 3,5 a 4,5 quilos os machos e 3 a 4 quilos as fêmeas.

Patas finas e longas, sendo as traseiras ligeiramente maiores que as dianteiras.
Os quadris são ligeiramente mais elevados do que os ombros.


A cauda é fina em proporção ao tamanho do corpo, e é geralmente encaracolada e emplumada quando o animal possui pelo longo e em formato de escova quando o animal tem pelo curto.


Cabeça em forma de cunha com contornos suaves e arredondados. Grandes orelhas em forma de concha com pelos encaracolados em torno da base. Olhos grandes em formato de amêndoa, ligeiramente afastados; a cor dos olhos não tem relação com a cor da pelagem; todas as cores dos olhos são aceitas.


O pescoço é ereto e de tamanho médio em proporção ao corpo.


Possuem pelos encaracolados, flexíveis, leves, arejados de tamanhos variados, desde pelo curto ate pelo longo. Todos os padrões de tamanho e cores são permitidos. 


O pelo não embaraça facilmente. Como há pouco subpêlo, o pelo com formato encaracolado mantém grande parte da pelagem solta presa ao corpo, em vez de cair no chão e em móveis.
Tornam se adultos em media com três anos.


A CFA a TICA permite cruzamento com gatos domésticos de pelo longo e pelo curto para expandir o pool genético da raça. A CFA, no entanto,estabeleceu que gatinhos LaPerm nascidos em ou após 1 de Janeiro de 2015, só pode ter pais LaPerm.


 
Saúde e Predisposição a Doenças

Um gato com saúde excelente, e sem nenhuma predisposição a doenças.



Cuidados
 

• Animais com pelos curtos, uma escovação semanal.

• Animais com pelos longos, duas escovações semanais;


• Limpeza semanal, no máximo quinzenal nos ouvidos, usando sempre um produto próprio para essa finalidade, que se encontra em pet shops. Instile sete gotas do produto para limpeza em cada ouvido, e depois de 20 minutos limpe com auxilio de meio palito de sorvete envolto com algodão, ate que ele saia sem sujeira aderida.


• Manter vacinação e vermifugação em dia, e seguir demais orientações de um médico veterinário, fazendo uma visita a cada 6 meses no mínimo.









Comportamento/Temperamento
 

O LaPerm é um gato inteligente curioso que pensa em como conseguir e obter o que quer, usando as patas e a boca para alcançar e apanhar tudo que deseja.

Eles vão muitas vezes seguir a sua liderança, isto é, se eles estão brincando ou ocupado e você decide se sentar e relaxar, basta pegar o seu LaPerm e sentar com ele, e ele vai ficar no seu colo devorando a atenção que você dá.


 Estes gatos, travessos e palhaços, com seus pelos ondulados e olhos inocentes vão fazer você rir de suas brincadeiras envolventes. São gatos ativos, que gosta de estar com você e participar de tudo o que você está fazendo. Eles querem estar perto de você e irão segui-lo como um cão, passear em seus ombros, sentar ao seu lado no sofá enquanto você vê televisão.

Eles vão chegar perto, e esfregar o rosto e as patas contra a sua cabeça, pescoço e rosto, mas sempre com muito carinho.


Eles são gatos gentis e afetuosos que desejam um contato humano.


Sua natureza, carinhosa e amorosa faz com que eles se de bem com crianças e animais de estimação da família, tornando-os um companheiro ideal.


Nota1: Apesar de todas as qualidades de um gato de raça, um vira latinha apresenta milhões de qualidades, que o farão tão ou mais especial que qualquer gato de raça pura.


Nota2: Pense sempre em adotar um gatinho. Não existe um ato de amor tão especial, quanto à adoção.

 
Seja adulto ou filhote, não compre, adote.


MV Marcelo Samegima Aleixo
http://www.facebook.com/profile.php?id=100000623329523
e mail e MSN: msaleixo@hotmail.com


Fonte: tudogato.com

Ravioli de Queijo Cottage com Salmão para Cães




Ingredientes

Para a massa: 3 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 ovos
Pitada de sal
Para o recheio: 3/4 de xícara (chá) de queijo cottage (com 2% de gordura)
1/2 xícara (chá) de salmão cozido e picado
2 colheres (sopa) de salsinha picada




Modo de preparo

Em uma tigela, misture a farinha de trigo, os ovos e o sal até obter uma massa homogênea. Abra-a aos poucos e coloque de 1 a 4 colheres de chá de recheio no centro de cada pedaço. Dobre a massa e modele no formato de ravióli. Coloque o ravióli recheado em uma forma e cubra com um pano úmido. Deixe descansar. Em uma panela com água fervente, coloque a massa para cozinhar por 10 a 15 minutos. Está pronto!

Nível Nutricional 

Segundo Sylvia Angélico, do site Cachorro Verde, o queijo tipo cottage é uma fonte de proteína de fácil absorção no organismo. Já o salmão fornece ácido




 por Fernanda Ruiz

Fonte: http://revistameupet.com.br

Bernes:como evitar e tratar




O que são bernes? Elas são larvas de moscas que se desenvolvem no tecido subcutâneo de animais, este tipo de parasita aparece em grande número principalmente nos cães, sendo mais comum em cachorros que vivem no campo ou quintais das casas.

 Certamente você já ouviu alguém dizer sobre a “bicheira” no cão não é mesmo? Ela acontece quando várias larvas de mosca vão se desenvolvendo, formando grandes buracos sob a pele.




Berne

A mosca causadora da transmissão deste parasita é conhecida como “mosca berneira”. No momento em que o inseto pousa sobre o cão, as várias larvas se projetam imediatamente para fora do ovo, elas utilizam dos pelos do cão para se fixar e chegar até a pele do animal.

Depois de aproximadamente 1 semana, esta larva aumenta 8 vezes de tamanho e vai continuar crescendo por 40 dias ou mais na pele do hospedeiro.

A larva deixa um buraco na pelo quando vai penetrando, este orifício serve para que ela possa respirar. Esta característica é a principal forma de detectar uma lesão causada por berne, se você visualizar um caroço com uma ponta esbranquiçada, certamente é um orifício causado por um berne.

Este tipo de lesão causa muita dor e coceira ao cachorro, pois você deve extraí-las o mais rápido possível. É de grande importância que a larva seja retirada por completo, para que o ferimento não infeccione depois.

Existe uma maneira correta de extrair esta larva e você certamente não vai conseguir extraí-la por completo se não tiver experiência. Caso você nunca tenha feito isso antes, aconselhamos que você procure um veterinário.

É muito importante buscar uma ajuda especializada, pois dependendo do local onde o berne se alojou, vai ser necessária uma pequena dose de sedativo para causar menos sofrimento ao animal durante o procedimento.




Como evitar berne?


Para protege os seus cães dos bernes, você precisa manter as moscas transmissoras do parasita longe de seu animal. A melhor maneira de fazer isso é mantendo o ambiente em que seu animal vive sempre muito bem limpo, você deve sempre remover as fezes do animal, lavar o local que ele vive e onde ele costuma fazer suas necessidades, além de manter o lixo de sua casa sempre muito bem.

Caso você queira protegê-lo ainda mais, você deverá pingar algumas gotas de essência de citronela pela pelagem do cão, mas antes de tomar esta precaução você deve levar seu cão ao veterinário para saber se ele não tem alergia à citronela.


Como tratar um ferimento com berne?


A primeira coisa a ser feita é analisar bem o ferimento e certificar-se que esta é realmente uma ferida causa pela larva do berne. Caso você suspeite que seu animal esteja com berne, você deve levá-lo imediatamente para um veterinário ou pet shop de confiança para realizar a extrassão do parasita.

Estamos chegando ao final deste artigo e esperamos que vocês tenham compreendido como proceder em caso de lesões causadas por berne. Muita gente pode te ensinar procedimentos caseiros, mas não aconselhamos que nada disso seja feito, pois você pode agravar a lesão.

Fonte:estimacao.com.br

quarta-feira, 12 de março de 2014

Cães e Gatos e Cancer de Pele




A Revista Veja desta semana  publicou uma interessante matéria sobre os riscos que o calor oferece para os animais de estimação. Entre eles, está o câncer de pele, que pode acometer cães e gatos.

 Transcrevemos a seguir a matéria e incluímos informações sobre uma maneira muito moderna e prática de tratar os tumores de pele nos pets usando a terapia fotodinâmica.

Cuidado com o sol!



 
O câncer de pele não é exclusivo dos seres humanos. A exposição prolongada ao sol é responsável pela incidência de câncer de pele em cães e, principalmente, em gatos — os bichanos são mais propensos em razão do hábito de passar horas tomando banhos de sol. Como os danos dos raios ultravioleta são cumulativos, a maioria dos casos envolve animais idosos.


Sintomas: 

a doença começa como uma manchinha avermelhada na pele e se torna uma ferida que não cicatriza ou, se cicatriza, volta logo em seguida

Áreas mais afetadas: 

 regiões do corpo com pelagem menos densa. Nos gatos, as lesões malignas tendem a surgir nas pálpebras, no focinho, na parte interna das orelhas e na região entre os olhos e as orelhas. Nos cachorros, a área de risco é o abdômen

 



Prevenção: 

é possível proteger as áreas de pouca pelagem com protetor solar FPS 30 tradicional, desde que sem perfume e hipoalergênico. Como os gatos têm o hábito de se lamber constantemente, o ideal seria evitar os longos banhos de sol

Tratamento: 

consiste na remoção cirúrgica ou na crioterapia, em que a lesão é queimada com nitrogênio líquido. Parece simples e até pode ser, quando ela surge na barriga. Nos gatos, porém, a doença afeta pálpebras, orelhas e focinho, o que pode resultar em deformação da face. Vale frisar que, quanto mais precoce o diagnóstico, maiores são as chances de cura.

Raças com maior risco de desenvolver a doença: 

 animais de pelagem curta e branca. Como os tumores malignos costumam aparecer na cabeça, gatos e cães bi e tricolores, como fox paulistinha, bull terrier e whippet, também podem desenvolver a doença.


Trabalho científico escrito pelos Drs Buchholz e Walt da Suíça (e-mail para contato - buchholz@aoicenter.ch.) revisa a utilização veterinária da terapia fotodinâmica, que se estende muito além dos tumores de pele.

 Fonte: oncodema.com.br

terça-feira, 11 de março de 2014

Aprenda a dar Banho no seu Cão!




Cachorros de banho tomado ficam ainda mais irresistíveis, mas mandá-los toda semana para a pet shop pesa no orçamento – tem lugar cobrando até R$ 40 por banho! Ainda bem que é fácil dar um trato nos bichinhos em casa mesmo.

 Claro, alguns procedimentos devem ser feitos por um especialista, como a limpeza interna dos ouvidos e o corte de unhas. Mas o banho caseiro também pode ser tão eficaz quanto o profissional.



 


Limpeza das orelhas

Limpe com uma gaze ou algodão a parte mais externa das orelhas do animal (onde ficam aquelas dobrinhas). Jamais use cotonete! Coloque algodão no ouvido dele para proteger da água.


Lavagem do pelo

Tire os nós com a ajuda de um pente largo. Molhe o bicho do rabo até a região da cabeça com água morna, passe xampu para cães sem deixar cair nos olhos ou no nariz. Enxágue e repita o processo.

 



Finalização

Remova o excesso de água com uma toalha e use um secador na temperatura morna para retirar bem a umidade. Mantenha distância do pelo do cachorro e finalize a operação com ajuda de uma escova.


Fonte:mdemulher.abril.com.br

Cuidados com as Patinhas dos Gatos



Não são apenas crianças e idosos que merecem atenção redobrada quando o assunto são as baixas temperaturas. Apesar do inverno ainda não ter chegado, o clima tem esfriado, o que aumenta a incidência de problemas respiratórios entre cães e gatos. De acordo com o Dr. Milton Kolber, Prof. Dr. de Patalogia Clínica da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Metodista, sobretudo gatos mais velhos e os mais novos, sofrem com as “agruras das mudanças de temperatura”. - See more at: http://petmag.com.br/655/mudancas-bruscas-de-temperatura-podem-causar-doencas-respiratorias/#sthash.e1s5m9vh.dpuf

Cuidar das patas do seu gato pode ser um algo complicado. Você precisa se certificar de as garras dele estejam saudáveis​​, mas não quer acabar sendo arranhado ou ferido pelo seu amigo felino. Este artigo irá guiá-lo pelos passos para checar as patas e mantê-las saudáveis​​.



Instruções:



    Cuidar das patas de felinos

  1. Manter as patas do seu gato saudáveis é importante por muitas razões. A sujeira e as fezes podem ficar presas entre os dedos se o animal for mais velho ou um banhista descuidado - ou se o pelo for extremamente longo. Para evitar que isso aconteça, você precisa ser capaz de examinar seu gato com segurança. Se ele ainda tem as garras, você vai precisar de uma toalha grande e, possivelmente, luvas.


  2. Envolva seu gato de forma segura na toalha. Talvez seja melhor pegá-lo pelo "cangote" para fazer isso. Pegar pelo cangote significa apertar a pele solta por trás do pescoço, como a mãe gata faz com os filhotes, e segurá-la com força. Uma vez que o animal estiver embrulhado na toalha e bem apertado, mas não demais, pegue com cuidado uma pata de cada vez e examine-a. Certifique-se de que não haja lesões e que a área entre os dedos esteja saudável e limpa. A maioria das patas são muito limpos, mas um pouco de sujeira não é prejudicial.


  3. Se houver sujeira que precisa ser removida, pegue um pano quente e úmido e passe cuidadosamente pela almofada e entre os dedos. Seu gato não vai gostar disso, por isso esteja preparado. Agora é o momento para cortar as unhas, se não quiser que fique afiadas. Certifique-se de não cortar muito rente, ou sangrará e, provavelmente, ocorrerá um ataque também.

  4. Lesões exigem a mesma ação, com a necessidade adicional de aplicação de um antisséptico e talvez um curativo. Certifique-se e entre em contato com um veterinário antes de tentar fazer um curativo no gato. É incrivelmente difícil prender uma atadura e você pode precisar de ajuda profissional.

  5. Se você encontrar vidro, lascas, ou outros materiais estranhos - talvez tenha que removê-los com pinças, e depois continuar com o tratamento de feridas normal. Geralmente, os gatos vão manter suas patas bastante limpas, mas em indivíduos debilitados ou idosos, ou de raças com pelos excepcionalmente longos entre os dedos, é necessário checá-las. Uma vez por mês é suficiente, a menos que você esteja percebendo o animal mancar ou deixar rastros no chão de terra, fezes ou sangue.




    Fonte: ehow.com.br

Não são apenas crianças e idosos que merecem atenção redobrada quando o assunto são as baixas temperaturas. Apesar do inverno ainda não ter chegado, o clima tem esfriado, o que aumenta a incidência de problemas respiratórios entre cães e gatos. De acordo com o Dr. Milton Kolber, Prof. Dr. de Patalogia Clínica da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Metodista, sobretudo gatos mais velhos e os mais novos, sofrem com as “agruras das mudanças de temperatura”. - See more at: http://petmag.com.br/655/mudancas-bruscas-de-temperatura-podem-causar-doencas-respiratorias/#sthash.e1s5m9vh.dpuf
Não são apenas crianças e idosos que merecem atenção redobrada quando o assunto são as baixas temperaturas. Apesar do inverno ainda não ter chegado, o clima tem esfriado, o que aumenta a incidência de problemas respiratórios entre cães e gatos. De acordo com o Dr. Milton Kolber, Prof. Dr. de Patalogia Clínica da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Metodista, sobretudo gatos mais velhos e os mais novos, sofrem com as “agruras das mudanças de temperatura”.
Segundo ele, os problemas mais comuns são os respiratórios, como a rinotraqueíte infecciosa felina. “A doença é causada por uma herpes vírus que pode levar à pneumonia, se não tratada”, esclarece o médico. Os sintomas mais comuns são: espirros, depressão, febre, corrimento nasal (seroso a purulento), falta de apetite e até mesmo alterações oculares como a ceratoconjuntivite.
José Naspitz , médico veterinário e ouvidor do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo, chama atenção também para o fato de que não são somente gatos que sofrem com o frio. “A tosse dos canis tende a surgir nas épocas mais frias, e pode ser evitada com medidas simples como a vacinação”. Ainda de acordo com o médico, além de problemas respiratórios, animais com artrose ou hérnia de disco sofrem de dores mais intensas nesses períodos de clima frio.
- See more at: http://petmag.com.br/655/mudancas-bruscas-de-temperatura-podem-causar-doencas-respiratorias/#sthash.e1s5m9vh.dpuf

segunda-feira, 3 de março de 2014

A Importancia dos Exercícios para os Cães




Conheça a importancia de fazer exercícios no dia a dia de nossos Cães....



* Ajuda a evitar o estresse - infelizmente este tipo de problema tem afetado nossos peludos. Com o aparecimento do estresse alguns cães ficam mais agressivos, ansiosos, depressivos, desenvolvem distúrbios de automutilação, ficam extremamente grudados em seus donos a tal ponto de não deixarem que outras pessoas se aproximem.

* Fortalece a união entre dono e cão, diminuindo problemas de falta de hierarquia – Cães que passeiam regularmente com seus donos tendem a ser mais cooperativos e a aceitar melhor os comandos e o treinamento de obediência. É que as caminhadas fazem com que o cão se sinta mais próximo de sua matilha e por isso respeite mais a hierarquia estabelecida.

* Ajuda a manter os peludos em forma e com saúde, aumentando o tempo de vida - doenças como a obesidade, dificuldades cardiorrespiratórias, predisposição à diabetes estão se tornando cada vez mais comum nos peludos que não fazem exercícios.

* Ajuda a evitar destruição - Evita que o peludo se meta em encrencas como a destruição de móveis, roupas, portas, jardins, paredes (acreditem existem cães tão estressados que destróem até paredes).

* O peludo fica mais tranqüilo - Assim como nós humanos o exercício regular fortalece os músculos, melhora a circulação sanguínea provocando uma melhor oxigenação dos tecidos ajudando a limpar as células de toxinas, aumentam a quantidade de serotonina liberada no organismo, que torna o cão mais relaxado e feliz.

* Evita brigas entre cães da mesma casa – com os passeios é possível criar um sentido de matilha, além disso, mantendo os peludos cansados eles vão pensar duas vezes antes de começar um briga.






Sabendo dos benefícios, temos que ficar cientes que nem tudo é perfeito e alguns exercícios podem trazer conseqüências “ruins”, vou citar alguns exemplos:

Exercícios como a corrida podem forçar as articulações dos peludos. Nestes casos é melhor praticar uma natação, por exemplo, com o cuidado de secar muito bem o peludo no final para ele não desenvolver fungos e dermatites.

Raças que tem alguma predisposição genética para algumas doenças como a displasia coxo-femural, ou problemas na coluna, podem ter seus problemas agravados por causa dos exercícios exagerados ou muito intensos.

Assim como os humanos alguns cães começam a criar uma resistência física muito grande com os exercícios, no início ele se satisfaz com 2 horas de exercício por dia, depois 2 horas não são mais suficientes, depois aumenta para 3, 4, 5 horas, parece que o peludo tem uma bateria recarregável. As raças de trabalho são mais propensas a esse tipo de atitude, mas é um problema raro de ser desenvolvido. Na LordCão só vimos um caso em que nenhum exercício era suficiente para o peludo.





Mas, se colocarmos na balança os prós e contras de se fazer exercícios, acho que a melhor opção ainda é praticar atividades físicas. Existem exercícios que podem ser feito até pelos cães que apresentam algum problema de saúde.

A quantidade de exercícios ideal para cada peludo vai depender da idade, da raça e da existência de alguma doença que possa comprometer a saúde dos peludos. Pra tudo na vida é preciso ter bom-senso, a maioria dos cães consegue sinalizar de uma forma clara quando estão no limite.

Além da quantidade, outro fator de extrema importância é a regularidade. Cães gostam de rotina, por isso não adianta sair com seu peludo uma vez por semana ou uma vez por mês e achar que isso é suficiente. Ponha-se no lugar do seu cão por alguns instantes. Você se imagina saindo uma vez por semana ou por mês? E que tal ficar trancafiado num canil (que na maioria das vezes a metragem é de 2x2) o dia inteiro sem olhar para ninguém? Acho que boa parte das pessoas teria um colapso nervoso. 

Sei que muitas vezes chegamos em casa cansados do trabalho, temos que dar atenção ao marido, esposa, filhos. Mas, o cão não tem culpa, temos que colocar o cansaço e a preguiça de lado e fazer bons exercícios com nossos peludos. A partir do momento que compramos ou adotamos um cão, a vida dele está sob nossa responsabilidade. Por isso os exercícios devem ser feitos diariamente. 

Mesmo para os cães que vivem em casas grandes os passeios são de extrema importância, pois são ótimos aliados para estreitar os laços de amizade entre cão e dono, além de socializar seu peludo com outras pessoas e outros cachorros.
Devemos ter um cuidado especial para cães muito novinhos (até 6 meses) e com idade avançada (a partir de 8 anos). Filhotes só devem brincar soltos e cães mais velhos precisam de um check up anual para verificar se está tudo bem, afinal é a famosa idade do “Condor”, com dor aqui, com dor ali e por aí vai.


Antes de começar a praticar qualquer atividade física com seu peludo, faça uma visita ao veterinário para um ckeck up verificando assim se existe algum tipo de problema como: displasia coxo-femural, problemas nas articulações, problemas cardíacos, entre outros.
Procure fazer os exercícios nos horários em que o sol não esteja torrando a cabeça de ninguém, não queremos que o seu peludo e nem você fiquem desidratados. 

Falando em desidratação não se esqueça de levar água para o seu peludo. Sempre que for praticar exercícios com o seu peludo, vá aumentando gradativamente o esforço e pare quando houver sinais de cansaço. Abusos podem provocar problemas de coluna, deformidades dos membros anteriores e posteriores e até enfarte.

Existem diversos tipos de exercícios que podemos fazer para nos divertimos com nossos peludos, mas sem dúvida alguma os melhores exercícios são aqueles em que o cão pode estar solto, porém nas grandes cidades este tipo de atividade é bastante complicada de ser realizada por falta de locais seguros e fechados. Sempre gosto de lembrar às pessoas que NÃO deixem seus cães soltos pelas ruas.

 Por mais treinado que ele seja, em algum momento pode acontecer o pior. Outro detalhe importante é que os cães que são atropelados são os cães que andam soltos. Pode parecer que temos o controle do peludo nessas situações, mas já vimos diversos casos de cães que se perderam dos seus donos porque o confundiram com outra pessoa, ou porque tinha uma fêmea no cio e o cão ignorou o chamado do seu dono (nessas horas a natureza fala mais alto, e não existe treinamento que segure um cão próximo ao seu dono sem uma guia). 

Já existe nas grandes cidades locais cercados em que podemos dar um pouco mais de liberdade aos cães, mas precisamos ter um segundo cuidado nesses locais, as brigas entre cães. Se o seu peludo é do tipo anti-social procure levá-lo nos horários em que não há outro cão.




Quer alguns exemplos de boa diversão e muito exercício?

 
Caminhadas – 

Este tipo de exercício serve para cães de todas as idades, tamanhos e raças. Para cães com um nível de atividade alta, você pode fazer três caminhadas de 40 minutos ou mais (dependendo do nível de energia do seu peludo) por dia.
Para cães com o nível de atividade médio, 2 caminhadas por dia de 30 minutos cada será suficiente para este peludo.
Para cães com um nível de atividade baixa, 2 caminhadas por dia de 15 minutos deve deixar esse peludinho satisfeito.

Corridas na coleira e guia –

 É o tipo de exercício que só deve ser feito por cães adultos e raças resistentes como cães de trabalho, Terriers, cães de caça ou cães hiperativos.

Natação – 

Muito usado na reabilitação de cães com problemas de saúde como a displasia coxo-femural. Esse divertido exercício gasta a energia de nossos peludos sem força suas articulações. É recomendado para todas as raças e também para cães de qualquer idade (a exceção fica por conta das recomendações específicas do veterinário).

Agility – 

Esse esporte é baseado em provas hípicas. O Agility consiste em fazer o cão percorrer um circuito de obstáculos no menor tempo possível e com o menor número de faltas. O condutor não pode encostar no cão e não pode ter nada em sua mão. Indicado para cães adultos. As raças que mais praticam esse esporte são os cães pastores, mas já existem cães de outras raças que participam deste esporte.

Frisbee Canino –

 Todo mundo sabe que os cães adoram perseguir objetos, imagine um objeto que passa voando por ele. O Frisbee é um esporte pouco conhecido no Brasil, mas que muitos cães iriam adorar praticar. Ele é mais indicado para cães adultos, mas pode ser feito moderadamente por cães jovens.

Treinamento de Obediência Básica – 

O treinamento também é um exercício para os nossos peludos, pois ele exercita o corpo e a mente do seu cão, além disso, melhora a comunicação entre o dono e o peludo reforçando sua posição de líder sobre nossos amigos que vêem o mundo através da hierarquia. Este também é um exercício que pode ser feito por cães de todas as idades.

Leia mais na fonte:

25 curiosidades sobre Cães



Para os que amam Cães,curiosidades caninas!!


- Descendente dos lobos, o cão é uma das primeiras espécies animais a serem domesticadas pelo homem.

- Em geral, um cão vive entre oito e quinze anos.

- O corpo do cão é formado por 321 ossos.

- As fêmeas geralmente mordem mais do que os machos.

- Raças de estatura pequena amadurecem mais cedo do que raças de estatura maior.

- Filhotes têm dificuldade de controlar a bexiga até pelo os quatro meses.

- A raça Basenji, das mais antigas existentes, é conhecida por ser a única do mundo a nunca latir;




- Cães suam pelos pés.

- A menor raça é a Chihuahua, enquanto a mais pesada é o São Bernardo. Já a maior raça do mundo é o Irish Wolfhound.

- As raças de porte pequeno tendem a viver mais do que raças de porte grande.

- Apesar da conhecida personagem “Lassie” ser uma cadelinha, todos os cães que a “interpretaram” eram machos.

- Filhotes da raça Dálmata nascem sem manchas! Elas costumam a aparecer quando eles entram na idade madura.

- É um mito achar que os cães não enxergam cores. Eles as vêem, sim, porém não de uma maneira muito viva como nós.





- Se não forem esterilizados, uma fêmea, um macho e seus filhotes podem gerar mais de 66 mil cães em seis anos!

- Como os bebês humanos, os filhotes de Chihuahua nascem sem moleira, que fecha à medida que crescem.

- Já com um ano de idade, um cão está maduro fisicamente, equivalendo a um humano de 15 anos.

- Cães podem ser treinados para detectarem ataques epiléticos.

- Cães da raça Basset Hound não sabem nadar.

- A Bíblia apresenta 14 citações sobre cães.





- Somente cães e humanos têm próstatas; contudo cães não têm apêndice.

- Em 1957, a cadela Laika tornou-se o primeiro ser vivo a visitar o espaço.

- Cães observam objetos primeiramente pelo movimento, depois pelo brilho e, por último, pela forma.

- Filhotes bem novinhos, em suas primeiras semanas de vida, dormem 90% do tempo em um dia.

- Quanto maior é o nariz do cão, mais eficiente é o seu sistema de resfriamento interno.

- O coração de um cão bate cerca de 120 vezes por minuto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...