Seja Bem Vindo!

welcomes

Seguidores

terça-feira, 29 de março de 2011

A Classe do Cão Afghan Hound


História da Raça:
 
A primeira menção à raça que hoje conhecemos como Afghan hound se encontra num papiro, datado aproximadamente de 400 a 3000 a . C, achado nas proximidades de Jebel Musa, localizada na pequena península do Sinai, entre o Golfo de Suez e o Golfo de Akaba, local que fazia parte do antigo Egito. Neste documento o cão é mencionado como hábil caçador e muito aceito pela nobreza. Em túmulos do vale do Nilo também foram encontradas reproduções destes animais. Acredita-se que inicialmente tenha sido presente de um Sheik a Mênfis, tendo recebido o apelido de cara de macaco.
Não se sabe exatamente quando a raça se instalou na parte norte do Afeganistão como também não foram encontrados traços de sua passagem pela Arábia ou pela, Pérsia- vias naturais de acesso.
Apesar de confirmada a origem Egípcia, há dúvidas se o Afeganistão fez grandes contribuições para o desenvolvimento da raça. Criado num país montanhoso e vivendo em regiões altas, onde invernos são especialmente severos, o Afghan pouco mudou em suas características marcantes. Pelagem compacta, sedosa, de textura fina e cobrindo todo o corpo; orelhas pendulares e um topete de pelagem sedosa no alto da cabeça. Outra característica hereditária da raça é a sua acomodação a qualquer tipo de temperatura- isto porque além de invernos gelados, o Afeganistão possui verões muito quentes.
Dotado de uma excelente visão e grande velocidade, era o cão mais indicado na caça a leopardos e na perseguição a gazelas e coelhos selvagens.



CARACTERÍSTICAS DA RAÇA
 
Com sua elegante aparência e porte altivo e aristocrata o Afghan tem conquistado muita gente e é tido por muitos como "O REI DOS CÃES".
A sua pelagem longa e sedosa, cresce gradativamente e chega ao auge quando o cão completa 3 ou 4 anos. O filhote possui apenas uma penugem por todo o corpo de textura lanosa, e um característico bigode que geralmente cai após os 12 meses.
O corpo é esguio e os ossos ilíacos aparentes, características que o tornam muito veloz. É um cão atlético e necessita de exercícios constantes. Talvez por um reflexo de seu passado de caçador, um Afghan pode fugir em disparada se tiver oportunidade.
De temperamento reservado e muitas indiferentes com estranhos, é tido como um cão independente. Porém como as demais raças, é muito apegado ao seu dono, com quem gosta de compartilhar os passeios ou descansos no sofá, a sua coma predileta.
Gosta de viver em grupo, principalmente com outros Afghan. Mas também convive com outros cães tranqüilamente . o Afghan só costuma atacar outros cães se for provocado.
Outra característica marcante na raça é a expressão original e o olhar distante, como se tivesse recordando os tempos passados. Daí vem a frase que todo criador fala: "UM AFGHAN NUNCA OLHA PARA VOCÊ, , E SIM ATRAVÉS DE VOCÊ."


 CUIDADOS ESPECIAIS
 
Para que o cão possa Ter a pelagem completa é necessário aguns cuidados especiais de seu dono. Os banhos devem ser semanais ou no máximo a cada dez dias. Um banho bem dado, com produtos de boa qualidade dispensa as escovações durante a semana. A raça não requer tosa, mas pode ser feito o trimming no dorso e pescoço, pois neste lugares a pelagem é mais curta e lanosa.
Uma alimentação balanceada, como uma ração de boa qualidade, e exercícios constantes é o suficiente para se Ter um animal em boas condições.


PADRÃO DA RAÇA ( Bruno Tausz)   

 APARÊNCIA GERAL: dão a impressão de força e dignidade, combinando velocidade e vigor. A cabeça portada alta.
CARACTERÍSTICAS: expressão oriental é típica da raça. O olhar do Afghan é distante e parece ver através das pessoas.
TEMPERAMENTO: indiferente e digno, com certa coragem e determinação.
CABEÇA E CRÂNIO: crânio longo, não muito estreito, com occipital proeminente. Focinho longo, de presas fortes e stop leve. Crânio bem balanceado encimado por um longo topete. O nariz é, preferivelmente, preto sendo a cor fígado aceitável em exemplares de pelagem clara.
Olhos: de preferência escuros, não penalizado os exemplares com olhos de cor dourada. Quase triangulares, ligeiramente oblíquos, no sentido do canto interno para o canto externo.
Orelhas: de inserção baixa bem para trás, portadas rente às faces e revestidas por pêlos longos e sedosos.
Focinho: maxilares fortes, com mordedura em tesoura perfeita,  regular e completa, isto é, os dentes superiores se sobrepondo estreitamente com relação aos inferiores e bem alinhados na mandíbula. A mordedura em torquês é tolerada.
PESCOÇO: longo, forte, portando a cabeça alta.


ANTERIORES: ombros longos e inclinados bem alocados para trás, bem musculosos, fortes, sem serem carregados. Membros anteriores retos com boa ossatura. Visto de frente aprumados com os ombros. Cotovelos bem ajustados, trabalhando rente ao tórax.
TRONCO: linha superior é reta e de nível, de comprimento moderado bem musculosa, com a garupa inclinando-se ligeiramente na direção da cauda. Lombo reto, largo e, preferencialmente, curto. Ílios bem proeminentes e bem separados. Costelas moderadamente arqueadas e boa profundidade de peito.
POSTERIORES: fortes, com joelhos bem curvados e bem angulados. Longos entre a garupa e os jarretes que são relativamente curtos. Os ergôs podem ser removidos.
PATAS: as anteriores são fortes e muito grandes, tanto em comprimento quanto na largura e revestidas por pelagem longa e espessa. Os dedos são arqueados, metacarpos longos e flexíveis, almofadas plantares, perfeitamente apoiadas no chão. As posteriores são longas, mas não tanto quanto as anteriores, com as características de pelagem iguais.
CAUDA: de inserção baixa e tamanho médio, portada alta, quando em ação, formando um anel no final.
PELAGEM: longa e de textura muito fina na região das costelas, nos membros e nos flancos. Nos cães maduros, o pêlo é curto e denso ao longo de toda a linha superior.
COR: todas as cores são aceitas.
TAMANHO: machos de 68 a 74 cm e fêmeas de 63 a 69 cm.
MOVIMENTAÇÃO: suave e elástica, com estilo de alta classe.
FALTAS: qualquer desvio dos itens deste padrão deve ser considerado como falta e penalizada na exata proporção de sua gravidade.



NOTA: os machos devem apresentar os dois testículos bem visíveis e normais, totalmente descidos na bolsa escrotal.
Fonte:saudeanimal.com.br 

Os Gatos ; brincadeiras e exercícios



Seu gato gosta de brincar com você. Se você ver que seu gato está pulando para o lado ou correndo pela casa, isto pode ser um sinal de que ele está querendo divertir-se. Eis alguns jogos que manterão você e seu gato entretidos. 

• Correr atrás da bola ou barbante. Alguns gatos podem até apanhar os objetos e trazê-los até você.
• Jogo de esconde-esconde.
• Jato de luz em movimento utilizando uma pequena lanterna tipo lápis. Os gatos adoram correr atrás da luz pelo chão, pelos móveis e pelas paredes.
• Saco de papel. Coloque um saco de papel do armazém, vazio, sobre o chão e veja o que acontece.

Você pode dizer se seu gato gostando de um determinado jogo verificando suas pupilas. Se elas estiverem dilatadas, isto indica que seu gato está se divertindo prá valer!




Brinquedos
Em geral, os gatos preferem brinquedos feitos em casa àqueles comprados em lojas e caros. Bolas de papel, super-bolas, argolas de plástico de garrafas de leite, lápis, sacos de papel, meias, caixas de papelão manterão seu gato entretido horas a fio. Tenha cuidado com pequenos brinquedos que podem ser engolidos ou que podem sufocar e evite brinquedos com peças soltas ou potencialmente afiadas. Guarde os barbantes quando você não estiver em casa para evitar estrangulamento.



 Exercícios
Mantenha seu gato mentalmente estimulado e ofereça-lhe muitas oportunidades para exercícios, e ele terá menos oportunidade para ser destrutivo em sua casa. Se seu gato ficar frustrado ou entediado, ele poderá mastigar suas plantas, arranhar seus móveis ou rasgar suas cortinas. Mudar o comportamento do seu gato é impossível, porém, exercícios freqüentes constituem uma das melhores soluções para os problemas de comportamento.


O poste arranhador é de importância crucial para a saúde do seu gato. Ele não apenas alivia seu desejo inato de arranhar, mas também é uma forma de exercício. Os gatos podem, literalmente, exaurir-se divertindo-se com seus brinquedos. Bons brinquedos o encorajarão a atividades de arranhar, perseguir e bater. Brinquedos que fazem movimentos repentinos atiçarão a curiosidade do seu gato.
Fonte:aquisoentramgatos.blogspot.com

Probióticos


Já se conhece há muito tempo os benefícios dos probióticos para a flora intestinal dos seres humanos. Sendo que os produtos da linha Yakult são os mais conhecidos nesse mercado. O que poucos de nós talvez saiba é que os cachorros também podem se beneficiar com esse tipo de bactéria do bem. “Os probióticos são bactérias importantes e grandes aliados na função de prevenir a colonização por outras bactérias que causam doenças”, explica a médica veterinária da Vetnil, Isabella Vincoletto. Além disso, os probióticos prometem melhorar a absorção de nutrientes e auxiliam na síntese de vitaminas e proteínas.
O desiquilíbrio intestinal em cachorros pode ser causado por várias razões, desde emocionais – como a presença de um novo animal na casa, a ausência do dono, mudanças de ambiente, reformas ou diminuição da frequencia dos passeios – assim como em animais recém-desmamados. “Os probióticos contribuem na adaptação da mudança do leite materno para a alimentação sólida”, explica a veterinária. Já no caso de animais que recebem antibióticos, esses compostos auxiliam no equilíbrio da microbiota (flora) intestinal. “Fazendo com que a recuperação do pet seja mais rápida”, afirma.

 

Probióticos ajudam na adaptação do leite materno para a alimentação sólida...
Mas nem pense em dar um Yakult ou qualquer probiótico humano para seu cachorro sem consultar um veterinário. Há probióticos criados especialmente para a flora intestinal dos pets, como o Probiótico Vetnil Cães e Gatos. 
Fonte:caninablog.wordpress.com

Porque os Cães abanam as caudas??


Abanar o rabo é um típico comportamento canino que nem sempre expressa felicidade.
Existe uma grande curiosidade sobre porque os cães abanam o rabo e a explicação para esse típico comportamento canino é bem mais complexa do que se imagina. Para muita gente, abanar a cauda é um sinal de contentamento, mas na verdade, nem sempre é isso que o cão sente e não significa que esteja feliz...
Os cães abanam o rabo quando estão em um estado de expectativa, esperando que algo aconteça, ou, quando estão em dúvida sobre a atitude a adotar, e aguardam até que a situação se defina. Mas são as emoções que determinam a posição do rabo e a intensidade dos movimentos.
Por exemplo, rabo totalmente levantado e movimentos rápidos indica alto grau de excitamento, atitude típica de um cão dominante, curioso, que pode, tanto estar alegre quanto prestes a atacar.
Rabo semi-ereto com movimentos lentos significa que o cão está em estado de atenção, com receio de se aproximar, ou desinteressado e pouco curioso.
Rabo totalmente abaixado sem movimento, atitude comum em cão submisso, pouco motivado e com medo.
Abanar o rabo também pode expressar contentamento, mas é o contexto define a intenção do cachorro. Quando o cão está diante do dono, ele abana o rabo porque está ao mesmo tempo alegre e ansioso, num estado de expectativa pois sabe que algo de bom vai acontecer. Por outro lado, ao ver um animal se aproximando, abanar o rabo é a manifestação de um conflito entre a curiosidade e o receio de entrar numa fria.
A intensidade do medo ou de coragem influenciam a posição do rabo e a velocidade dos movimentos. 


 Odores presentes na região do anus são liberados mais facilmente quando o cão mantém a cauda ereta e a movimenta rápido. Cães dominantes adotam essa postura antes de atacar.
Em estudos recentes sobre o cérebro canino, pesquisadores descobriram que a parte esquerda do cérebro desperta emoções positivas, ligadas a sentimentos de apego e aproximação, que provocam relaxamento e despertam afetividade. Já o lado direito do cérebro atua como um sensor de perigo, estimulando atitudes de afastamento, fuga e luta geradas por emoções negativas como medo e agressividade.
Como o cérebro age de maneira invertida, abanar o rabo para a direita significa alegria e afetividade, ao contrário, rabo para a esquerda é sinal de que o cão está apreensivo. Na dúvida, é melhor não provocá-lo!
Saber interpretar esses sinais é muito importante, pois para os cães, o corpo é sua maior forma de expressão.
Fonte:espaçoanimal.com.br

Hidratação para Cães e Gatos



Os tratamentos de estética para animais evoluem a cada ano, sendo que o tradicional banho e tosa, somente, não bastam. Hidratação do pêlo, massagem, hidroterapia, escova e até relaxamento no ofurô são novidades que encantam os vaidosos donos de cães e gatos.  Tratamento com óleo de semente de uva (vinhoterapia), hidratação de chocolate, queratinização com aparelho que libera a queratina com o vapor, tratamentos com manteiga de carité e vitaminas. Estas são algumas opções de benefícios para pêlos de cães e gatos oferecidos pelos pet shops. Além disso, aproximando ainda mais dos tratamentos de cabelos, os animais podem, ainda, fazer uma escova luminosa, que consiste em um kit de produtos para abrir escama do pêlo, pois deixa macio, aumenta o brilho e ainda, alisa. Esse tratamento é ideal para cães com pelos mais grossos, como Maltes e Shi Tzu.
O ofurô para cães e gatos auxilia algumas hidratações. A água é aquecida à temperatura destes animais, 39°, e o tempo limite de imersão neste local é de 10 minutos para que a pressão não baixe e não comprometa a saúde dos bichos. A água quente abre os poros, relaxa o animal e é indicada para animais estressados que ficam muito tempo sozinhos sem o dono ou que estão em tratamento. O ofurô é indicado para animais de até 5 quilos.



De acordo com a veterinária, Karine de Oliveira Marques Pacheco, até mesmo os gatos relaxam no ofurô e afirma que é um mito dizer que eles têm medo de água. “O gato é menos servil que o cachorro que aceita facilmente o que é feito. O gato tem personalidade forte, por isso dever ser feita uma adaptação com o animal na água, aos poucos e em ambiente calmo”, explicou.
O mercado dos pet shop cresce, e para Karine, essa evolução nos tratamentos traz mudanças benéficas e outras exageradas. “O mercado pet brasileiro é o segundo do mundo em desenvolvimento e o que melhora com a inovação é a beleza associada à saúde, pois os cuidados não são eficazes se não forem associados à uma alimentação balanceada para o animal. Mudanças exageradas existem porque há procura, o animal é tratado como membro da família esquecendo a condição dele de bicho realmente, deve haver cautela”, opina, dizendo que um exemplo de novidade exagerada é a cadela inflável que foi apresentada em uma feira de São Paulo este ano. “Ela deturpa a parte de instinto sexual e comportamental do animal”, conclui.




Segundo a veterinária, os donos de cães e gatos chegam a gastar até mil reais com tratamentos estéticos, mas, em média, para serviços como banho, tosa, escovação, sem especialidades, o custo é de aproximadamente R$100, e associado com hidratações e vários banhos o preço sobe para cerca de R$500. “Em Uberlândia, o perfil é de pessoas que cuidam da estética, mas que privam pela saúde do seu animal de estimação. Não há necessidade de vários banhos e nem de perfume todo o tempo, essas ações podem ser prejudiciais para o animal”, finaliza Karine.

Fonte:triangulomineiro.com

segunda-feira, 21 de março de 2011

Gato Bombaim,o Pantera Negra Felino



Origem
   Tal como nas histórias infantis, também aqui há um Era uma vez…, pois tudo começa num momento preciso, a década de 50 do século XX, quando uma criadora de gatos norte-americana, Nikki Horner, se propôs a desenvolver um gato que fosse uma miniatura de pantera. O desafio estava lançado e Nikki Horner, de Louisville, cidade do estado do Kentuky, só pararia quando percebeu que tinha alcançado o seu objectivo. Porém, nem tudo foram facilidades e os revezes iniciais foram bastante desencorajadores. Nikki começou o seu projecto cruzando Birmaneses com gatos American Shorthair de cor preta, mas os resultados estavam longe do pretendido. Sem desistir do seu propósito, e ciente de que este era exequível, Nikki recorreu, anos mais tarde, a uma nova leva de gatos. Foi nessa altura que tudo começou a ganhar forma. Obteve, então, os primeiros gatos com um bom desenvolvimento muscular e um pêlo muito curto, já perto do tom de preto sólido que pretendia.

O pêlo, de um profundo tom de preto, cobre-o da ponta do nariz às almofadas das patas...


História
   A história da raça passa ainda pela Grã-Bretanha, onde a mesma raça Birmanesa começou a ser cruzada com a raça British Shorthair, mas foi Niki Horner, a grande impulsionadora e responsável pelo nascimento de mais esta raça, à qual deu o nome Bombaim, nome de uma cidade indiana, por a Índia ser o país natal da pantera negra, animal selvagem que serviu de modelo para este dócil gato doméstico. Cerca de 18 anos depois das primeiras experiências de Nikki, o Bombaim foi aceite, sendo reconhecido mundialmente como uma raça oficial de gatos. Logo em 1976, o Bombaim entra no primeiro campeonato, uma espécie de passarela dos felinos. Hoje em dia, os criadores ainda recorrem ao Birmanês, a fim de garantir o tipo físico e a textura delicada e suave da pelagem, mas muito raramente, ou mesmo nunca, se voltou a utilizar o American Shorthair, com o qual se deu o arranque da raça.

 A razão é simples: é bastante fácil obter o manto negro desejável sem a interferência desta segunda raça, a qual, por seu turno, introduz um tipo físico pouco apelativo.
Talvez por isso, o Bombaim e o Birmanês são tão semelhantes. De tal forma que por vezes, apenas um entendido os distingue. Daí que a própria Nikki Horner, mãe da raça, se refira a estes gatos como Birmaneses pretos. Para tirar dúvidas, saiba que o Bombaim tende a ser maior, a ter o corpo mais longo, as patas mais altas e a ter uma quebra do nariz diferente da do Birmanês. Além de que o gene da cor preta é dominante no Bombaim. Estão, pois, feitas as apresentações bem como as necessárias distinções. Inteligente, carinhoso e dedicado, ele vive para mimar e receber mimos


Morfologia
   O Bombaim caracteriza-se, acima de tudo, pela uniformidade da pelagem curta de cor negra, que o cobre da ponta do nariz até às almofadas das patas. O pelo é ainda brilhante e muito suave. O seu corpo é de tamanho médio, porém, musculado, encimado por uma cabeça arredondada, de queixo firme e nariz curto. Dela despontam orelhas proporcionais, também elas médias, de pontas ligeiramente boleadas na ponta e ligeiramente voltadas para a frente, o que dá ao gato a expressão de permanente alerta, como a sua parente selvagem. Outro ponto de convergência com o grande felino preto da Índia é o tamanho dos seus olhos, grandes, redondos, brilhantes e acobreados — ou dourados —, já para não voltar a referir o seu manto curto, negro (da raiz à extremidade das cerdas) e reluzente como o de uma pantera. É ainda um gato surpreendentemente pesado, tendo em conta o tamanho. É um animal fisicamente equilibrado, onde tudo parece obedecer a uma harmoniosa proporcionalidade. Todavia, esta é a descrição de um Bombaim adulto, já que as crias, até aos dois anos, podem apresentar uma pelagem mais clara, começando a escurecer por volta dos seis meses de vida.








Temperamento

   Também neste aspecto, o Bombaim lembra o Birmanês. São gatos calmos que apreciam a vida em apartamentos, mesmo que tenha de os partilhar com outros animais, incluindo cães, aos quais se adaptam na perfeição. É um gato inteligente que aprende depressa, incluindo a trazer objectos, a fazer truques, a obedecer a regras e até a passear de trela. Adora jogos e brincadeiras e aninhar-se em locais quentes, com predilecção por camas. Alguns Bombaim são muito palradores, mas outros há que mal vocalizam. Constante é a sua dedicação aos humanos, procurando a sua companhia e ligando-se a eles afectivamente. Mas é exigente, contabiliza a retribuição de mimos, a qual deve corresponder ao muito afecto que dá aos donos. É igualmente dedicado a todos os membros da família, perto de quem procura estar. Mas não gosta de barulhos nem confusão, precisando ainda de momentos só para si, o que é revelador do seu carácter tranquilo e pacífico. Do seu ponto de vista, não vê necessidade de sair de casa, principalmente se tiver vários colos à escolha, aos quais soma sem timidez, o das visitas.  

Bombaim por ser o nome de uma cidade indiana, país natal da pantera

Prós e Contras
   O Bombaim, é um gato caseiro, que aprecia a vida em apartamentos. É pouco tolerante com outros gatos, já que gosta de ser o gato dominante, centrando as atenções e afecto dos donos, de quem gosta de receber carinho na mesma dose generosa com que o dispensa. É, sem dúvida, um excelente animal de companhia, activo, brincalhão e criativo, capaz de inventar mil e uma maneiras de se entreter. Mas exige atenção, ou seja, não é recomendável deixá-lo sozinho durante longas horas, pois pode ressentir-se da solidão. Um factor importante a ter em conta é a sua precoce maturidade sexual. Quem não estiver interessado em procriar a raça, deve pensar em castrar os machos ou esterilizar as gatas entre os seis e os nove meses, havendo mesmo casos de paternidade com apenas cinco meses de idade. Um fenómeno que não é acompanhado pela sua maturidade física, a qual é mais lenta, só alcançando o pleno desenvolvimento muscular perto dos dois anos de vida. No que toca ao pêlo, nada de stress, pois tamanha beleza requer, afinal, muito pouca manutenção e uma simples luva de borracha resolve a questão. Experimente acariciá-lo de quando em vez com uma luva de veludo e espante-se com o resultado: brilhante e sedoso como o de uma pantera. Fora isso, deixe que seja o próprio animal a cuidar da sua higiene. Ele fá-lo melhor do que ninguém.


Fonte:instinto.pt.com

Frutas e Legumes para Cães


Cães podem se alimentar de legumes e verduras sim! E sem sombra de dúvida é uma ótima idéia para complementar a dieta do seu cão, pois alimentos como cenouras e maçãs, além de saudáveis são ótimos para a atividade de roer e mastigar. Mas muito cuidado, pois nem todos os vegetais saudáveis para os seres humanos são recomendados para cães!
A dieta de um cachorro, assim como as das pessoas, deve consistir em uma grande variedade de alimentos em quantidades moderadas. Porém fique atento pois alguns alimentos podem ser muito tóxicos para cães! Selecionamos alguns alimentos que merecem atenção:

Alface - as folhas de alface em grandes quantidades causam diarréia.
Mamão - Deve ser dado em poucas quantidades, pois também causa diarréia.
Uvas e passas - Quando ingeridos em grandes quantidades podem causar falência dos rins em cães, em função de uma substância ainda desconhecida. Sintomas incluem vômito constante e hiperatividade.
Frutas cítricas - Frutas como laranja, limão e tangerina causam vômito.
Abacate - além do alto teor gorduroso, contêm uma substância tóxica chamada Persina, que pode causar vômito e diarréia.
Ovo cru - contém uma enzima chamada Avidina, que reduz a absorcão da Biotina (vitamina B), que pode levar à problemas de pele. Ovos crus também podem conter Salmonela (perigoso para nós também!).
Brócolis - contêm Isotiocianito, substância conhecida por ser um potente irritante gastrointestinal. Porém sua toxicidade se dá em grandes quantidades.
Casca da batata - contêm Ácido Oxálico, que interfere com a absorção de cálcio.
Cebola e alho - O consumo moderado de alho por cães não é prejudicial. Estudos feitos até o momento, indicam que o consumo de alho pode provocar algum tipo de desequilíbrio nas hemácias não foi conclusivo e bastante tendêncioso. 


Contudo, baseando-se neste estudo, demonstra-se que o consumo diário de alho cru em até 25/30mg por kilo de animal, não é prejudicional.
Sabe-se também, que considerando que se ao cozer por alguns segundos em água, os agentes potencialmente nocivos deste vegetal não minimizados, podem-se consumir em até 2x o valor citado.
Na fitoterapia animal o alho é considerado um poderoso anti-pulgas/carrapaticida, antimicrobiano natural, auxilia na prevenção de problemas cardiovasculares, estimula o apetite dentre uma série de outras questões de melhoria da saúde.
A diferença entre um alimento ser considerado remédio ou veneno, muitas das vezes está na dosagem.
Por exemplo, na alimentação de cães com rações, um dos fatores de "qualidade" é o nível proteico, que normalmente em sua grande parte provém de fonte animal. Para conservar esta proteína animal, são utilizados conservantes artificiais baseados em nitritos e nitratos. O que também acontece para alimentos humanos.
Tanto nós humanos como os animais, estamos começando a ter uma série de ocorrências de alergias que até então não tinhamos. E um dos vilões são os conservantes, principalmente os nitritos e nitratos, os quais alteram nosso metabolismo.
Assim, o consumo de alho, por exemplo pelos animais (cães), é muito mais saudável do que o consumo de um bifinho (produto industrializado com sabor carne)


Autor Dalmer - Pet Gourmet - Delícias saudáveis para mascotes De forma geral, não devemos alimentar cães com grandes quantidades de alimentos destinados às pessoas. Vale reforçar que você deve sempre consultar seu veterinário se houver a intenção de complementar a dieta do seu animal de estimação com alguma fruta ou vegetal. É melhor prevenir do que remediar!
Fonte:paranaonline.com.br

Planos de Saude para os Animais



Em alguns países como Estados Unidos, os planos de saúde para animais existem a vários anos. Algumas empresas pagam planos de saúde para seus funcionários e dependentes, e nessa categoria estão incluídos até os animais de estimação da família.
......No Brasil, os planos de saúde para animais já existem, alguns mais simples, oferecidos pelas clínicas veterinárias a seus clientes, outros mais sofisticados, cobrindo vários tipos de serviços, como nos planos de saúde para pessoas. O proprietário do cão ou gato pode optar pelo tipo de cobertura. Um plano básico dará direito a consultas, vacinação anual, atendimento de emergência 24 hs e serviço funeral. Para serviços de adestramento, hospedagem, banho, tosa e transporte ("taxidog"), o dono tem direito a descontos. Os outros tipos de planos, um pouco mais caros, cobrem, além de todos esses serviços, exames laboratoriais, cirurgias, raio X, internações, etc.
......O valor mensal do plano de saúde irá variar de acordo com o tipo de cobertura escolhido. A idade do animal não irá influenciar no valor, como acontece nos planos de saúde humanos. Animais acima de 8 anos, no entanto, terão uma cobertura especial, de valor anual, que lhes dará direito a descontos em todos os serviços, mas não à cobertura total. Há carência para usar o plano de saúde, porém, o tempo é bastante reduzido (30 dias).
......O plano de saúde pode ser vantajoso, pois garante ao animal ser atendimento por serviços especializados como odontologia, ortopedia, oftalmologia e outros, a um preço bastante acessível. E para manter a saúde do cão ou gato, é importante o acompanhamento do veterinário e vacinação anuais, exames de fezes periódicos e check-ups, a partir de 6 anos de idade.
......O plano de saúde pode ser uma saída econômica para dar ao cão ou gato acesso a todos os serviços que a veterinária oferece.......
Silvia C. Parisi é médica veterinária e este seu artigo foi publicado em www.vidadecao.com.br. Contato: silvia.parisi@vidadecao.com.br




Fonte:mulherdeclasse.com.br

Os Cães e a importancia do Ômega 6



Ácidos Graxos Ômega

Os donos de animais de estimação estão cada vez mais conscientes de que certos ácidos graxos são benéficos para a saúde de um animal de estimação. Junto com esta conscientização vem a pergunta "que ácidos graxos são importantes e por que?"
Embora a resposta a esta pergunta tenda a ser técnica, ela ajuda a aumentar nossos conhecimentos sobre o papel que uma nutrição apropriada desempenha nas vidas de nossos animais de estimação. A compreensão da nutrição proporcionada pelos ácidos graxos começa com a definição dos ácidos graxos não-essenciais e essenciais. Os ácidos graxos não-essenciais podem ser sintetizados dentro do organismo de um cão ou gato e não são necessários em sua dieta. Os ácidos graxos essenciais não podem ser sintetizados por um animal de estimação, devendo, portanto, ser fornecidos em sua dieta.
Os cães requerem um ácido graxo essencial (ácido linoléico), enquanto que os gatos requerem dois (ácidos linoléico e araquidônico). Ambos os ácidos linoléico e araquidônico são classificados como ácidos graxos "ômega-6" com base em sua estrutura molecular. Tais ácidos graxos encontram-se, principalmente, nos grãos e na gordura animal e são incluídos, em níveis apropriados, nos Alimentos para cães e gatos de alta qualidade a fim de:
  • ajudar a regular o fluxo sangüíneo para os tecidos corporais;
  • ajudar na coagulação no caso de uma lesão;
  • ajudar na reprodução normal;
  • ajudar o sistema imunológico de um animal de estimação a responder a lesões e infecções;
  • ajudar um animal de estimação normal e saudável a manter uma pelagem bonita e uma pele saudável.
Uma outra classe importante de ácidos graxos é a dos ácidos graxos ômega-3. Apesar de serem, estruturalmente, semelhantes aos ácidos graxos ômega-6, os ácidos graxos ômega-3 não são, atualmente, considerados essenciais na nutrição dos animais de companhia.
Por causa de suas semelhanças estruturais, os ácidos graxos ômega-6 e ômega-3 disputam as enzimas que os convertem em seus respectivos metabólitos, que servem como sinais celulares importantes em vários processos biológicos, inclusive função imunológica, coagulação sangüínea e inflamação. A despeito das semelhanças entre os ácidos graxos ômega-6 e ômega-3, seus respectivos metabólitos diferem em intensidade como sinais celulares. Os sinais oriundos dos ácidos graxos ômega-6 são, geralmente, mais potentes do que aqueles emitidos pelos ácidos graxos ômega-3.
O potencial dos ácidos graxos ômega-3 de contribuir para a saúde dos nossos animais de estimação é promissor. Uma massa cada vez maior de pesquisa científica sugere que esta classe de ácidos graxos pode beneficiar os animais de estimação durante certas etapas de suas vidas ou quando eles estão sofrendo de certas doenças. Tais estudos mostraram que os ácidos graxos ômega-3 têm o potencial de ajudar:
  • no tratamento de uma inflamação severa associada a certos distúrbios da pele;
  • no desenvolvimento apropriado do sistema nervoso e acuidade visual;
  • na remissão e diminuição dos efeitos colaterais do linfoma.
A diferença nas necessidades dietéticas dos cães e gatos encontra-se na forma como utilizam o ácido linoléico. Quando este ácido é fornecido em níveis apropriados, os cães podem produzir todos os outros ácidos graxos requeridos. Todavia, os gatos não podem produzir todos os outros ácidos graxos de que precisam a partir do ácido linoléico e requerem a adição de um componente ômega-6, o ácido araquidônico, às suas dietas.
A compreensão do que o ômega-6 pode fazer pelos animais de estimação e dos benefícios potenciais que o ômega-3 pode oferecer é um tanto complicada, porém, o princípio básico consiste em que, em níveis apropriados e devidamente balanceados nas dietas dos animais de estimação, tais ácidos graxos proporcionam benefícios para a saúde dos mesmos.
Além disto, a gordura dietética desempenha outras funções importantes na dieta de um animal de estimação. Ela fornece uma forma concentrada de energia, contribui para a palatabilidade e textura do alimento de um Alimentos para cães e gatos e carreia as vitaminas lipossolúveis A, D, K e E.





Uma Consideração Final

É bom saber que os cientistas da área de pesquisas sobre nutrição continuam a aprender até mais sobre como as dietas dos animais de estimação podem ser formuladas de modo a serem benéficas para os nossos queridos companheiros.
Fonte:nestle.com.br

Gatos:a importancia da Taurina na alimentação


Os gatos necessitam:

*boa quantidade de proteínas e gorduras (carnes, peixe, aves, vegetais, soja)
*hidratos de carbono, sais minerais, vitaminas
*água: No estado selvagem os gatos bebem pouca água. A carcaça das presas que come possuem 70% de água.

Já os gatos domésticos precisam de água fresca e sempre disponível, principalmente os que se alimentam de ração seca.


*grama: Ou verde. É um elemento importante na alimentação dos gatos. No ambiente selvagem, ingerem alimentos verdes junto com a presa. O verde contém vitaminas e ajuda no bom funcionamento do aparelho digestivo.
*Taurina: A Taurina é um produto final do metabolismo de 2 aminoácidos. Está envolvida na formação e funcionamento da retina e nos gatos também com a formação de sais biliares.

Sua deficiência resulta em degeneração da retina e cegueira. Essas alterações demoram longo tempo para ocorrer, cerca de 1 ano com uma dieta insuficiente em Taurina.
Diferente dos outros animais, os gatos não conseguem sintetizar a Taurina. Ela é encontrada em produtos de origem animal. As rações atualmente vêem com um bom suprimento de Taurina.


*Vitamina A: O gato é incapaz de converter beta-caroteno em vitamina A, por isso necessitam de fonte pré-formada da vitamina. A função mais conhecida da vit. A é com relação à visão, mas também é importante para o crescimento normal das celulas epiteliais, crescimento ósseo e dos dentes.

O excesso da vitamina A também causa doença, como doença óssea, gengivite e perda de dentes. Isso pode ocorrer por excesso de suplementação ou por ingestão excessiva de fígado.


Ração em lata
Têm a vantagem do sabor e umidade, mas é mais cara do que a seca, contribui para a formação de tártaro nos dentes, dá mau-hálito, fezes com mau cheiro, podem ocasionar gases e fezes moles. Se estragam com mais facilidade quando deixadas no prato, e os pratos devem ser lavados todos os dias.
Recomendada para animais que necessitam de reposição de líquidos, animais com inapetência.


Ração Seca
 Os gatos alimentados com ração seca necessitam de mais água, têm menos tártaro nos dentes, é mais barata e deixa menos cheiro na boca e nas fezes. Os pratos permanecem limpos e a ração não estraga com facilidade e as fezes ficam firmes.

Leite
 Muitos gatos têm intolerância à lactose e podem apresentar diarréia. 

Ração para cães
 Não é apropriado para gatos, já que possui ingredientes balanceados para cães e não para gatos. Cada espécie necessita de uma quantidade específica de nutrientes, para boa manutenção de seu organismo. Um gato alimentado com ração para cães por um longo período de tempo, poderá ficar seriamente doente.

Restos de comida
 Podem até agradar seu gato, mas não contém os ingredientes necessários para uma boa nutrição.

Ossos
 Não há problemas em dá-los ao seu gato, desde que sejam grandes e não soltem lascas, como os de boi. NUNCA dê ossos de galinha ou de porco, seus fragmentos podem grudar na boca, garganta ou estômago e perfurar o intestino do seu gato.

Carne
-A carne não faz mal, mas não possui todos os ingredientes necessários para o seu gato.
Fígado
Diariamente e em grandes quantidades pode intoxicar seu gato por vitamina A e causar diarréia.

Suplementos vitamínicos e minerais
Se seu gato tem uma alimentação balançeado, como ração, não necessita de suplementos.

Peixe Cru
Alguns peixes crus podem causar deficiência de Tiamina. Os peixes crus possuem Tiaminase, que destróis a Tiamina Vit B1. O calor do cozimento, destrói a Tiaminase presente na carne do peixe.

Fonte de pesquisa: Nutrição do Cão e do Gato, Dr. S.E. Blaza Bsc Phd - Animal Studies Centre UK; Gatos, cuidados, criação e doenças - Marcio Vieira./becodosgatos.com.br

terça-feira, 15 de março de 2011

Cães e Doces





                                     Doces para Cães!!!!




Acabaram os dias tristes dos cachorrinhos de estimação! Nada mais de ficar com vontade das guloseimas que seus donos vivem a se deliciar. A Panetteria di Canni tem panettone, muffin e colomba pascal, todos especialmente elaborados para o bom gosto dos cães.
Com receitas testadas por uma equipe de veterinários especializados em nutrição e dermatologia animal, os doces possuem uma variedade de receitas incrível. São tortas com geléia diet de morango, framboesa e kiwi, biscoito folhado salgado, pão de mel, pretzel, pão de alho e muffin de frutas vermelhas. Também tem a linha de cookies em vários sabores, snacks e petiscos que vão deixar os cães com “água na boca”.


A idéia da Panetteria di Canni começou com o veterinário e diretor da loja, Ângelo Carotta Neto, ao perceber a quantidade de animais que atendia com problemas por ingestão de alimentos não indicados. Foi aí então que começou a pesquisar receitas e produtos para animais que já eram comercializados no exterior, mas não no Brasil.
O veterinário resolveu produzir, em sua própria casa, algumas das receitas básicas, com o suporte de veterinários especializados em dermatologia e nutrição e de um clínico geral. "As primeiras 'cobaias' foram meus próprios cães", revelou.


Após um tempo começaram a testar os produtos em cães de amigos e de clientes. As vendas começaram modestas, em seu próprio Pet Shop. Hoje, a Panetteria di Canni está presente em mais de 100 pontos de venda em todo país e a previsão para 2004 é chegar a 1000 pontos, com uma nova ação de divulgação e vendas que a Panetteria adotará a partir do mês de agosto.




Todos os alimentos são adoçados com mel, não contendo nenhum ingrediente nocivo à saúde do animal, não possuem também ingredientes à base de ração ou qualquer sub-produto animal. "Costumamos dizer aos donos dos cachorros que eles também podem experimentar as receitas, pois nenhuma delas é feita com ração ou qualquer sub-produto animal", comentou. Os petiscos e snacks da Panetteria di Canni não têm nenhuma contra-indicação.
Com o crescimento dos pedidos e a necessidade de se expandir, a Panetteria inaugurou uma fábrica em agosto de 2003, em São Paulo, e produz, hoje, 10 mil unidades por mês. "A capacidade de produção da fábrica hoje é de 20 mil unidades de qualquer produto por mês e ainda podemos expandir a produção para o triplo deste valor", explicou Neto.


Os veterinários têm uma opção diferenciada, saborosa e de qualidade para indicar aos donos dos cãezinhos. Sem dúvida, nossos produtos são e aos seus clientes guloseimas de dar água na boca aos nossos melhores amigos".


Os produtos são diferenciados não apenas em seus sabores, mas também o aspecto de suas embalagens criativas e que chamam a atenção do consumidor. O fecho das caixinhas são em formato de osso, e os doces possuem formatos de estrela, coração, panettones, etc. "Além disso, encomendamos pesquisas para desenvolver novos sabores e receitas para que os produtos fiquem cada vez mais saborosos", finalizou Neto.
Mais informações para empresas e consumidores sobre a Panetteria di Canni podem ser obtidas pelo tel. (11) 5061-6265.

Fonte:viadeacesso.com.br

Cadelas e gravidez psicológica


O que fazer quando sua cadela, depois do cio e mesmo virgem começa a fazer ninho pela casa, se comportar de maneira estranha, chorar pelos cantos e... ficar com as tetinhas cheias de leite, mesmo que você tenha certeza ABSOLUTA que não houve acasalamentoter? Ela pode estar "grávida" psicologicamente!
A gravidez psicológica em cadelas é muito mais comum do que nós pensamos. Normalmente ocorre em cadelas que nunca cruzaram e que já passaram por mais de um cio, mas também pode acontecer logo no primeiro.
As causas biológicas estão relacionadas com um hormônio que precede o cio, chamado progesterona. Sua produção se estende por dois meses na cadelas que não foram fecundadas e, para as que tiveram filhotes, por mais dois meses após o parto.
As causas sociais/psicológicas seriam um resquício do comportamento primitivo, da época em que os cães viviam de forma selvagem como os lobos, e visava ajudar na alimentação e proteção dos filhotes.
Acontece que entre os lobos, normalmente, só a fêmea líder irá ser fecundada pelo macho líder. Isso garante não só que irão nascer os filhotes com maiores chances genéticas de superioridade, como também que o grupo será capaz de garantir a sobrevivência de um número limitado de filhotes. Como geralmente a fêmea líder é uma melhor caçadora que as fêmeas mais submissas, ela provavelmente precisará sair da companhia dos filhotes para caçar.
É justamente aí que entra a sabedoria da Mãe Natureza e a utilidade da gravidez falsa. Para garantir que os filhotes serão alimentados e protegidos, as fêmeas submissas e não fecundadas têm a gravidez falsa e passam a alimentar e a tomar conta dos filhotes quando a mãe deles não está presente.



 Nas nossas amiguinhas peludas, os sintomas são iguais aos da verdadeira gravidez e incluem falta de apetite e vontade de brincar ou ficar perto de humanos, posse e proteção exagerada de objetos como sapatos, camisetas, pedaços de pano, almofadas ou bichinhos de pelúcia. Elas podem inclusive apresentar comportamento agressivo e, por incrível que pareça, a agressão por proteção maternal é mais comum em fêmeas que não possuem filhotes do que nas que acabaram de parir. Felizmente estes sintomas são passageiros (duram em média 2 meses) e o jeito é ter paciência e deixar a bichinha curtir os "nenês" dela.
Não acho que seja necessário nenhum medicamento para acabar com o leite ou coisas assim. Compre um bichinho de pelúcia e deixe ela adotar o brinquedo como se fosse o filhote dela, que assim ela fica menos frustrada. De qualquer forma, convém procurar seu veterinário para uma consulta e certificar-se de que é só uma gravidez psicológica mesmo.

Claudia Pizzolatto - claudia@lordcao.com
Treinadora e Especialista em Comportamento Canino
Lord Cão - Treinamento de Cães
www.lordcao.com
  Fonte:dogtimes.com.br

Por que os Cães cheiram Tudo?


Praticamente tudo o que um cão precisa saber de outro está no ânus. Naquela região se encontram as glândulas anais, que produzem um líquido de cor castanha de cheiro forte. O odor fornece a outros cachorros informações preciosas, como a raça, se é macho ou fêmea e, especialmente, o estado de espírito do animal, explica a médica veterinária Karine Evangelho.
"Funciona como se fosse uma espécie de carteira de identidade animal", exemplifica. A comunicação canina é feita pelo olfato de duas maneiras: pela eliminação de aromas específicos nas fezes, urina ou secreções glandulares e também pelo cheiro de seu próprio corpo.
Essa comunicação usa mensagens químicas chamadas de feromônios. E, quem diria, saber porque um cão cheiro o rabo do próximo explica também uma famosa expressão em português.
Cachorros muito submissos tapam completamente suas glândulas anais, para evitar que os outros sintam seu cheiro. Ou seja, saem por aí literalmente com o rabo entre as pernas. E o contrário também é verdadeiro: quando um cão deseja demonstrar autoridade, levanta o rabo para exalar mais cheiro, explica Karine.
Nos grupos, a identificação do líder é feita justamente por esse processo. O animal abana o rabo para mostrar que é o dono do pedaço. "Porém, se não existe relação de liderança, eles se cheiram, reconhecem-se, mas não abanam o rabo", conta a veterinária.

Fonte:htforum.com

Por Que os Gatos arranham???


Alguns proprietários de gatos não agüentam esse hábito de seus pets: arranhar. Tudo que encontram eles arranham, tudo mesmo. Pode ser o sofá, o pé da cadeira, portas ou algum bichinho de pelúcia. Esse costume faz parte da natureza desses animais.

Essa atitude serve para relaxar os gatos e também ajuda na defesa. Além disso, através desse ato, eles deixam as unhas aparadas. Quando as unhas dos gatos crescem formam um tipo de bainha escameada que aborrecem e irritam os felinos que arranhando conseguem eliminar o problema.

Para tentar amenizar esse aborrecimento, existem diversas empresas que comercializam arranhadores para os animais feitos com diversos materiais, desde papelão até sisal. Os arranhadores devem ser colocados em um local de fácil acesso para o bichano e precisam ser produzidos com materiais que eles possam afiar suas unhas facilmente.

Pancreatite em Cães e em Gatos


No cão adulto, a insuficiência pancreática ocorre por causa de uma inflamação crônica do pâncreas (pancreatite). Em ambos os casos a doença se manifesta por diarréia e má digestão.

 Sintomas:

Os cães que sofrem de insuficiência pancreática apresentam uma diarréia crônica acompanhada de emagrecimento, que algumas vezes é considerável e surpreendente, em virtude de o animal apresentar maior apetite. As fezes podem ser abundantes, mal-cheirosas (cheiro de manteiga rançosa) e são, quase sempre, pastosas, uniformes e claras. Mas estes sintomas tão característicos nem sempre são muito evidentes, e pode acontecer que o animal afetado por insuficiência pancreática tenha fezes totalmente líquidas e de uma cor menos típica. Além disso, não é raro o cão comer suas próprias fezes, apresentando problemas de pele relacionados com a má assimilação dos alimentos.


Na origem desta doença está a redução e até mesmo a falta de secreção pancreática, a redução da ativação, ou da atividade das enzimas pancreáticas. Em condições normais, o suco pancreático permite a digestão dos açúcares (glicídios), dos protídeos e das gorduras (lipídios) de origem alimentar, graças às enzimas que contém (principalmente a tripsina, a amilase e a lipase pancreáticas).
A doença é diagnosticada, geralmente, através de um exame clínico, sendo na maior parte dos casos confirmada por exames complementares e laboratoriais. Os exames procuram nas fezes a presença de glicídios, lipídeos e protídeos. A gravidade da doença depende da irreversibilidade das lesões. É tanto maior quanto mais jovem for o cão, já que a insuficiência pancreática provoca um atraso considerável no crescimento e no aumento de peso; aliás, o tratamento é menos eficaz no filhote do que no adulto.
Fonte:vetclinic.com.br
Autor: Dr. Luiz Celso Didone de Freitas

sexta-feira, 11 de março de 2011

O Charmoso Gato Russian Blue



Diz-se que esse gato de pelagem azul se originou na região russa de Arkahangelsk, no mar branco, onde já era visto no século XVII, e que, por volta de 1860, foi levado à Inglaterra por navegadores, onde fez imediatamente sucesso e participou de diversas exposições.
Uma outra hipótese é que esse gato tenha surgido no mediterrâneo, assim como o Chartreux, de modo que foi também conhecido por gato maltês, gato azul e gato espanhol.
Há ainda aqueles que defendam que os Azuis da Rússia descende dos gatos reais do Czar da Rússia. Apenas em 1939 a raça passou a ser oficialmente conhecida por Azul da Rússia. 
Essa raça quase foi extinta durante a Segunda Guerra Mundial o que levou os criadores a cruzar os poucos exemplares existentes com gatos siameses e britishs shorthair (pêlo curto inglês). Por conta dessa mistura seu tipo físico ficou mais alongado, tornando-o quase um siamês de pelagem azul e, ainda, a raça perdeu seu típico olhar esmeralda. 
Nos anos 60 os criadores europeus se movimentaram para voltar ao tipo original, com o corpo mais curto e de cor mais escura, modificando o padrão oficial, o qual passou a especificar que o tipo siamês não era desejável. Nos Estados Unidos, no entanto, permanece um tipo mais alongado e de pelagem mais clara. 
 Nos anos 80 surgiu o Nebelung, um Azul da Rússia de pelagem semi-longa que em 1987 foi reconhecido como uma raça a parte pela TICA.
A principal característica do Azul da Rússia é sua pelagem dupla de cor prateada que parece uma pelúcia ou uma pele de foca. São aceitas várias nuances de cinza, podendo ir do prateado ao azul, mas, sem manchas tigradas quando atingir a idade adulta. 
   O Azul da Rússia é um gato alongado de corpo musculoso e estrutura média, nem muito atarracado, nem tão esbelto quanto o siamês, parecendo-se com o tipo dos gatos representados no antigo Egito.



Sua cabeça é pequena e cuneiforme, com orelhas com base ampla, pontudas e retas, cuja principal característica é uma pele bem fina, quase transparente. Outra característica marcante da raça são os olhos amendoados de cor de esmeralda.
Os cuidados com sua pelagem se resumem a escová-lo no sentido contrário do pêlo.
O Azul da Rússia é um gato calmo e tímido, mas que após se habituar com seu dono lhe ficará bastante apegado. Por conta desse seu temperamento, o lar ideal para o Azul da Rússia é um ambiente tranqüilo, onde não seja perturbado e que, de preferência, não tenha crianças muito levadas e barulhentas. 
Enfim, o Azul da Rússia é um excelente gato de apartamento, que não se incomodará em passar horas repousando, bem agasalhado em um dia frio de inverno.


 
Inteligentes e amantes de brincadeiras, esses gatos se divertem sem, contudo, destruir sua casa. São muito dóceis e por essa razão se dão bem como crianças, outros gatos animais de outras empecíeis. As fêmeas são ótimas mães, cuidando atentamente de seus filhotes. E, até os machos, chegam a se revezar cuidando das crias quando a fêmea os deixa por alguns momentos. Seu miado  é bastante  suave, de modo que pode ser difícil identificar uma fêmea no cio.
Fonte:bibigil.blogspot.com

Os Movimentos da Cauda dos Gatos



Os gatos têm uma vasta forma de comunicação. Podem fazer mais de 100 sons vocais, ou seja, dez vezes mais do que os cães. Outra forma de comunicação é com a sua cauda, a qual exprime várias emoções:

Movimento da cauda Significado
Abana suavemente para baixo e depois para cima O gato está relaxado.
Abana violentamente para ambos os lados O gato está zangado. É sinal que o gato está quase a atacar.
Ligeiramente levantada e curva O gato está interessado em alguma coisa.
Erecta mas com a ponta ligeiramente inclinada O gato está interessado em alguma coisa. Amigável mas com algumas reservas.
Totalmente erecta O gato está a saudar sem reservas. Para os gatos esta acção é uma cópia do que faziam quando enquanto gatinhos saudavam a mãe gata.
Totalmente baixa e possivelmente enrolada entre as duas patas traseiras O gato está totalmente submisso, mostrando que está socialmente na escala mais baixa. Esta atitude num gato caseiro revela tristeza, infelicidade. Pode também indicar alguma doença.
Entufada e erecta O gato está com medo. Responde com agressividade.
Entufada e curva O gato está com medo.Responde na defensiva.
Parada, erecta, mas a ponta treme O gato está a ficar ligeiramente zangado.
Erecta mas todo ele treme Duas causas possíveis: o gato está a marcar território ou o dono está a cumprimentá-lo.
De lado Quando uma gata está no cio e receptiva


Fonte:formiguinha.blogs.sapo.pt
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...